Português Italian English Spanish

Escadas Pressurizadas: para que servem e como funcionam

Escadas Pressurizadas: para que servem e como funcionam


O sistema precisa estar conectado a sensores de fumaça instalados em todos os andares. Os sensores enviam sinais ao painel de alarme, que é acionado e ainda manda o comando para os ventiladores para dar início ao processo de pressurização da fumaça.

            Entenda para que servem as escadas pressurizadas e saiba como funcionam.

O intuito da pressurização das escadas é criar um ambiente seguro nas escadarias.

Uma edificação precisa atender as normas de segurança para reduzir quaisquer impactos causados por acidentes, em especial incêndios. Assegurar rotas de fuga, porta corta-fogo sinalização, equipamentos de proteção como extintores de incêndio, entre outras ações são fundamentais para proteger a integridade física das pessoas. 

Entre as normas técnicas que as edificações devem obedecer está a 13/2014 que trata das escadas pressurizadas. O intuito da pressurização das escadas é criar um ambiente seguro nas escadarias para que as pessoas possam evacuar o prédio em caso de incêndio.

Basicamente, as escadas de segurança precisam contar com um sistema de ventilação para que fumaça não permaneça em seu espaço. Dessa forma, as pessoas não inalam a fumaça, que pode queimar as vias respiratórias, intoxica-las, e na pior das hipóteses, asfixiá-las. 

Sem dúvidas, as escadas pressurizadas são um item de segurança essencial para reduzir os impactos e facilitar a fuga em caso de incêndio. Por isso, precisamos conhecê-las melhor. 

O que são escadas pressurizadas?

Escadas pressurizadas utilizam um sistema de pressurização, ou seja, um sistema de ventilação mecânica forçada que possui uma série de ventiladores específicos capazes de renovar o sistema de ar. 

O intuito, como vimos, é evitar que a fumaça oriunda de um incêndio possa se concentrar na escada, criando um ambiente seguro para a retirada das pessoas do interior do prédio e facilitar a entrada dos bombeiros que vão combater o incêndio. 

Os ventiladores são conectados de modo a gerar um ar insuflado que provoca a mudança de pressão entre a escada e as outras áreas do prédio. Eles são dispostos em uma câmara própria e conectados a dutos que levam o suprimento de ar a todos os andares.

Confira! Exigências da seguradoras para aceitar o "Seguro Incêndio". Como deixar sua edificação segura

O sistema todo conta com:

Ventilador

O ventilador do tipo centrífugo vai insuflar o ar para a escada de segurança. Nesse tipo de ventilador o ar circula pelo centro em um movimento de entrada, fazendo com que o ar saia com grande pressão. No caso das escadas pressurizadas, a vazão do ar fornecida deve ser igual ou superior a 50 Pa (unidade de medida da atmosfera padrão). 

Duto de captação

Refere-se ao duto de ar que capta o ar do ambiente externo que chega à sala de pressurização para ser insuflado para o corpo da escada. Geralmente o duto é feito em alvenaria ou metal, de modo a assegurar que a vazão de ar seja adequada para a sala de pressurização. 

Duto de insuflamento

É o duto que liga o ventilador ao duto vertical. Está localizado no corpo da escada e também pode ser de alvenaria ou metal. Precisa estar isolado para evitar vazamentos de ar que prejudicam a pressurização ou a contaminação externa.

Duto vertical

É o duto que direciona o ar pressurizado do ventilador até o corpo da escada. 

Grelhas de insuflamento

As grelhas de insuflamento distribuem e direcionam o ar no duto vertical para o corpo da escada. São reguláveis, de modo a assegurar a distribuição adequada do ar no ambiente. 

São dispostas no corpo da escada em intervalos, conforme o projeto, no entanto, é obrigatório que exista uma próxima ao piso de descarga e outra próxima ao último pavimento a ser pressurizado.

Veneziana de captação

A veneziana tem o intuito de captar o ar do ambiente externo e enviá-lo à sala de pressurização. São instaladas em locais que permitem a maior captação do ar possível e com a melhor qualidade. 

Filtro de ar

A filtragem do ar é importante e para isso utiliza-se o filtro de ar de classe G1. Seu intuito é fazer com que o ar pressurizado seja o mais limpo possível, a fim de tornar o sistema mais eficiente. 

Sala de insuflamento

É uma câmara de pressurização instalada nos andares de baixo ou subsolo, mas precisa permitir a entrada de ar ou apresentar um duto de captação eficaz. É onde estão instalados os ventiladores e demais controles. Precisa ter espaço suficiente para armazenar os ventiladores, ser resistente ao fogo por até 3 horas.

Porta corta-fogo 

A porta corta-fogo é instalada na sala de insuflamento, no acesso das pessoas à escada pressurizada e em áreas de refúgio. O intuito é impedir a passagem de fogo ou fumaça entre compartimentos, de modo a facilitar a  fuga de pessoas e resgates.

O modelo mais utilizado em prédios comerciais e residenciais é o simples, formado por uma só folha fabricada em aço galvanizado ou outra liga de aço resistente ao fogo com 80 cm a 120 cm de largura. Há também o modelo duplo, com 120 cm a 220 cm de largura, indicado para locais onde há grande fluxo de pessoas, como centros comerciais, cinemas, teatros, etc. 

Leia também: Vale A Pena Usar Chapas Expandidas?

Como funciona o sistema da escada de pressurização?

O sistema precisa estar conectado a sensores de fumaça instalados em todos os andares. Os sensores enviam sinais ao painel de alarme, que é acionado e ainda manda o comando para os ventiladores para dar início ao processo de pressurização da fumaça. 

Quando não são acionados automaticamente é necessário fazer o acionamento manual. Assim que o ventilador passa a funcionar, o ar captado do ambiente externo pelas venezianas passa pela sala de pressurização e é distribuído para o corpo da escada pelas grelhas de insuflamento no duto vertical. O objetivo aqui é garantir a pressurização no corpo da escada. 

O sistema funciona em dois estágios: único, em que os ventiladores são acionados somente em emergências, e em dois estádios, quando funciona continuamente com baixa pressurização (15 Pa) e aumenta para 50 Pa em casos de emergência. 

Esse segundo é exigido em determinados estados, pois operam em condições mínimas, mantendo a renovação constante do ar. 

Como o sistema deve funcionar em casos de queda de energia, também é necessária a instalação de um gerador elétrico, capaz de gerar a energia necessária para seu funcionamento.  

Conteúdo produzido em parceria com a Bepex!